dimanche 21 octobre 2012

Avenida Brasil, a febre dos brasileiros para as novelas





Sexta-feira à noite, 19 de outubro,  a gente organizou um jantar com amigos em casa. Entre aperitivo, pratos, sobremesa e uma garrafa de Bergerac 2010, a gente não percebeu a febre que tomou o Brasil.

Esta febre: o último capítulo de Avenida Brasil, a novela que quase bateu o recorde de audiência detido por Roque Santeiro (1985). Amanhã, o primeiro capítulo de Salve Jorge sobre uma favela carioca "pacificada"  será apresentado às 21h. Por enquanto, eu quero compartilhar algumas reflexões sobre este fenômeno social que era Avenida Brasil, e mais amplamente sobre a importância das novelas no Brasil.


Avenida Brasil, a paixão brasileira por Carminha, Nina e Jorginho
Desde a primavera, às 21h, 60-72% dos telespectadores brasileiros reuniram-se em frente de suas TVs para seguir as aventuras de Carminha, Nina e Jorginho. Todos dias, cerca de 38 milhões de telespectadores. Com esse tipo de audiência, seria um erro dizer que o público das novelas é inculto e ignorante! O fenômeno é tal que vimos comentários até de professores universitários!

Esse fenômeno tambem empurrou a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, para adiar a reunião de apoiamento ao candidato do PT à prefeitura de São Paulo (programado no dia do último episódio) por medo de não encontrar ninguém na sala de reuniões !

Esta novela da Globo foi escrita por João Emanuel Carneiro, autor de várias séries de televisão, e dirigida por Ricardo Waddington. Os atores são os melhores: estrelas brasileiras como Marcos Caruso (Leleco) ou Heloísa Périssé (Monalisa) e jovens talentos como Cauã Reymond (Jorginho) e Débora Falabella (Nina).

A paixão por Avenida Brasil começa a partir da apresentação Vem Dançar com Tudo, que vem de uma canção originalmente angolana Vem Dançar Kuduro. Então, é também uma trilha sonora muito bem feita: Maria Rita, Adele, Seu Jorge, Rita Lee, Katy Perry, Coldplay, Shakira, Paul Mac Cartney, Zeca Pagodinho...
.



O último episódio de Avenida Brasil, disponível na Internet, finalmente, termina de um jeito surpreendente: aprendemos que Carminha também foi abandonada no lixão por seu pai e, depois de cumprir três anos de prisão pelo assassinato de Max, ela decide voltar para o lugar onde seu pai a havia deixado e vai para a casa de Mãe Lucinda. Enquanto isso, Nina e Jorginho têm um filho, e perdoam Carminha.
Enredos paralelos eram muito menos convincentes: Cadinho se casa com as três mulheres Alexia, Veronica e Noemia. E o futebolista Adauto supera um trauma de infância ligado a uma chupeta que ele  deve queimar para se libertar e seguir em frente (admito que não entendo isso...).



Novelas? Sim, é cultura!
Você sabia que as novelas (rádio ou televisão) são principalmente originadas nos folhetins franceses de século 19? As receitas são as mesmas: o melodrama, o amor impossível, os sentimentos exacerbados, a confusão ou o roubo de identidade, a busca do pai ou da mãe, segredos de família, a obsessão com o passado, a busca por origens, o enfraquecimento das relações familiares, arrependimento e, claro, o desejo de vingança e perdão.
Alexandre Dumas (pai) ou Honoré de Balzac foram grandes escritores de folhetins.
No Brasil, o ilustre escritor Machado de Assis e  o dramaturgo Nelson Rodrigues  também escreveram novelas nos jornais.
;
Atualmente, a novela brasileira aparece como um forte componente da cultura nacional, e pelo menos com quatro registros.
;
Primeiro, a novela permite a difusão e apropriação da literatura brasileira, como evidenciado pela difusão de Gabriela, baseada no romance de Jorge Amado. Com as novelas, a literatura nacional se torna acessível a todos ... (não esqueça que o Brasil ainda tem 14 milhões de analfabetos).
;
A novela também é uma identidade cultural, quase a construção de uma identidade nacional. Isto é evidente, por exemplo, através da inserção do real em alguns episódios: arquivos, políticos, fatos sociais. A novela é usada para apoiar ou discutir questões sociopolíticas contemporâneas. "Roque Santeiro" também é um exemplo muito bom. Essa novela de 1985 bateu recordes históricos de audiência, quando da abertura política do Brasil, no final da ditadura. O roteirista Dias Gomes, comunista, críticava muito o poder, a corrupção, a mudança de identidade... Essa novela foi um sucesso em toda a América Latina e África.

A novela também discute a identidade brasileira coletiva, seus estereótipos e as questões raciais (peso da escravidão, a situação social dos negros, índios, relações ricos/pobres...).

Por fim, algumas novelas têm grande valor artístico (como Gabriela ou Avenida Brasil) e jeito mais especificamente brasileiro, constituindo uma forma de resistência cultural ao domínio americano. Novelas mais bem sucedidas do que as “séries” francesas para oferecer uma alternativa ao domínio da televisão dos Estados Unidos.

No entanto, as novelas  são boas mas são só ficção ! Eles são apenas a leitura, uma interpretação da realidade. 

As novelas, uma presença diária  
Além de um simples programa de TV, Avenida Brasil é um fenômeno social. Como todas as outras novelas, a sua divisão em capítulos deixa um suspense no final de cada episódio.
A novela provoca toda manhã comentários de telespectadores, torcendo por um ou outro  protagonista (Nina ou Carminha? Mãe Lucinda!).



Muitas vezes as pessoas falam o seguinte: "Você viu a novela ontem? “ Você viu o que aconteceu? “ “ Não dá!”.
A influência é tão grande que finalmente tudo mundo conhece a  novela, mesmo aqueles que não assistem (eu por exemplo!). Há informações na internet, nos jornais, nas redes sociais. Tem que ler os comentários,  interagir com os brasileiros, e regularmente ler os status deles no Facebook para conhecer tudo!

Na verdade, os jornais e revistas, como a revista Veja, regularmente trataram de Avenida Brasil, com ângulos diferentes: fenômeno social, publicidade, impacto social, a vida dos atores...
A página Facebook de Avenida Brasil tem mais de 430.000 fãs e gerou mais de 160.000 tópicos!


As novelas que inspiram 
Atores de novela são uma inspiração para a vida dos telespectadores. A loja on-line Avenida Brasil propõe fornecer as mesmas panelas que Nina, coloca dicas para adotar o estilo de Max, de Jorginho ou das três mulheres de Cadinho. Os atores revelam seus segredos de beleza. Também é possível preparar seu casamento inspirado nos casamentos das personagens (mas a noiva à direita copiou meu vestido de casamento!).

;
Novelas influenciam estilos de vida
Você deve saber que uma novela dura seis a oito meses, o tempo para explorar a personalidade dos personagens e para abordar importantes questões de fundo. Avenida Brasil durou cerca de 6 meses.
Existem diferentes tipos de novelas. Há novela das 18h (geralmente leve), das 19h (mais engraçada) e, finalmente, as 21h aparece a novela dramática enraizada na realidade econômica e social do Brasil. 

A evolução do conteúdo temático reflete mudanças (reais ou pressupostas) das mentalidades.

A novela permite localizar e discutir temas como a representação da homossexualidade e da transexualidade, a paternidade gay, as relações multiamorosas, o abandono e a adoção de crianças... 
A novela também permite  refletir sobre valores e posturas ou sobre como enfrentar algumas incertezas da vida: violência contra as mulheres, aborto,  enriquecimento ou falência pessoal, doença, alcoolismo, deficiência, gravidez na adolescência, doação de sangue, doação de órgãos. Esta dimensão educativa reflete-se também na única novela francesa "Plus belle la vie", que permite estimular o debate em torno de questões negligenciadas na sociedade.



1 commentaire:

  1. Gostei do texto manu, eu tenho uma visão diferenciada do que seja a novela, mas concordo com boa parte do que vc escreveu. Sim, é por meio dela que as pessoas se aculturam, deveria e poderia ser de outra maneira, mas se esse é o 'jeito brasileiro', devemos saber disso. Bjo.

    RépondreSupprimer